Olá!
Sou a Sabrina
e sou coach!

Eu & Mim

“No espelho não é eu, sou mim. Não conheço mim, mas sei quem é eu, sei sim. Eu é cara-metade, mim sou inteira. Quando mim nasceu, eu chorou, chorou. Eu e mim se dividem numa só certeza. Alguém dentro de mim é mais eu do que eu mesma. Eu amo mim. Mim ama eu.

Quem dentro de mim é mais eu que eu mesma?”

Rita Lee

Mãe da Isabela

Formada em Administração de Empresas

Certificação internacional de Coaching

Palestrante

Meu nome é Sabrina, tenho 31 anos e sou uma empreendedora materna.

Quando minha filha nasceu me deparei com um grande dilema: cuidar da minha filha ou continuar trabalhando. Por um lado, queria poder amamentar minha filha por pelo menos 6 meses, acompanhar de perto o desenvolvimento dela e fortalecer nossos vínculos (que serão para a vida toda), por outro lado não tinha condições financeiras para abrir mão de uma renda importante para minha família, queria manter minha independência financeira e sempre gostei de ser uma pessoa produtiva.

Na área em que atuava não tinha possibilidade de flexibilizar minha carga horária ou tentar algum formato home office. E a ideia de passar mais de 12 horas longe da minha filha todos os dias ia me consumindo.

Analisando as poucas opções que tinha decidi empreender! Pedi demissão do meu emprego e me tornei uma empreendedora materna.

Descobri que muitas mulheres passaram e ainda estão passando pelo mesmo que passei.

Acredito na importância do trabalho para nossa vida como meio de alcançar realização pessoal e nos garantir independência financeira.

Mas quando olhamos para realidade do mercado de trabalho em relação às mulheres nos deparamos com dados alarmantes. Mulheres ganham menos do que homens, trabalham mais e têm menos oportunidades de ascensão profissional.

Quando uma mulher vira mãe, suas chances diminuem e muitas sequer retornam ao mercado de trabalho após a licença maternidade. Muitas são consumidas pela angústia de que, por um lado, não querem (ou não podem) parar de trabalhar e, por outro, não querem abrir mão de estarem próximas de seus filhos. E ainda há aquelas para as quais lhes foi negado qualquer escolha, pois foram demitidas assim que retornaram da licença maternidade simplesmente por serem mães.

Auxiliar mulheres para que possam conciliar a maternidade que acreditam com um trabalho que lhes traga retorno financeiro e realização profissional é o propósito do meu trabalho.

Sim, é possível! Vem comigo?

Conheça um pouquinho mais da minha história: